18 agosto 2006

Desemprego na nossa região contraria tendência nacional

Os últimos dados do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) dão conta de uma ligeira subida do desemprego no centro de emprego de Figueiró dos Vinhos, este centro de emprego abrange os concelhos de Figueiró dos Vinhos, Ansião, Alvaiázere, Pedrógão Grande e Castanheira de Pêra.
São mais 25 desempregados comparando os números com os de Julho de 2005, em termos percentuais falamos num aumento de desemprego na ordem dos 2.6%.
O despedimento recente de 12 funcionários, num total de 50, da fábrica de recauchutagem de pneus SONUMA e o conflito laboral na empresa de alcatifas e tapetes Poortere e Cuf Associados (Cuf Têxteis), em Ansião, onde metade dos 70 empregados têm a receber um valor próximo de cinco mil euros em subsídios de férias e Natal, em atraso desde o início da década, e onde no passado mês de Julho os trabalhadores só receberam metade do ordenado, são o exemplo de duas entidades empregadoras a seguir com bastante preocupação nos próximos tempos.
Este aumento de desemprego na nossa região contraria categoricamente a tendência registada a nível nacional neste último ano, onde o número de desempregados do país tem vindo a diminuir, havendo hoje a nível nacional menos 5.1% de desempregados, o que em termos quantitativos representa um universo de 436.901 desempregados registados nos IEFP’s.
Estes valores são bastante representativos e elucidativos, demonstram que andamos a circular em contra-mão na auto-estrada da prosperidade, havendo tão e somente três destinos possíveis para esta nossa falta de atenção; ou fazemos uma introspecção consciente e damo-nos conta do caminho que levamos e passamos a circular na direcção correcta; ou somos “capturados” por uma entidade superior e colocados “em ordem”; ou então estamos tão perdidos e sozinhos que nem nós nem ninguém dá conta da enorme trapalhada em que nos metemos, e aqui há duas soluções, ou chocamos com os que circulam no sentido correcto e consciencializamo-nos de vez de quais devem ser as nossas prioridades, ou sofremos um embate tão violento e brusco que nunca mais conseguiremos recuperar.
O desemprego é amigo da desertificação, há que gastar dinheiro para os tentar combater, não se esqueçam dos problemas da nossa região neste tempo de férias. Os bons políticos não são aqueles que nos fazem “jeitos” e tentam ganhar eleições com atitudes momentâneas, bons políticos são aqueles que pensam em nós como um todo que deve viver melhor.

16 comentários:

sindicalista capitalista disse...

Esta diminuição do número de desempregados também esta relacionada com o aumento do turismo. Nesta época há muitas unidades hoteleiras a empregarem pessoal a tempo parcial, mas chega-se o mês de setembro outubro e o desemprego aumenta. Penso que estes numeros são importantes mas temporários.
Quanto aqui a fabrica da sonuma de figueiró, já se anda a dizer à mais de 6 anos que está para fechar, e lá se tem aguentando, certo é que cada vez com menos trabalhadores. Também com uma gestão como a que lá está, é dificil fazer melhor.

rmcfénix disse...

Como é que se pode arranjar empregos nesta região:reformados da função publica,trabalhar para a etpzp!Duplos empregos na função publica!Um caso simples:Pseuda eng. do ambiemte da camara que já arrasou c a praia do mosteiro e que p+assa a vida a laurear a pevide a tratar da vida dela nos carros publicos,agora também tem o papá a ganhar a sua reforma,mas ao mesmo tempo está nos vigilantes florestais e ao mesmo tempo faz piqutes connosco nos bombeiros!è caso para dizer isto só video...

Anónimo disse...

Esse precisa de 2 salarios, um para ele outro para a barriga dele

fonseca disse...

O problema do desemprego é real e tem de ser combatido. Que havemos nós cidadãos de fazer para o tentar combater? Simples, dar sugestões para o tentar combater.
Vou então dar o meu contributo. Porque não se investe mais na modernização das câmaras municipais, e das juntas de freguesia, concelhos mais modernos e céleres são um bom cartão de postal para as empresas. Porque não criamos uma zona industrial conjunta (bem sei que há uma no papel, mas não passa disso) e unimos esforços, oferecendo regalias bastante importantes que nos levem a escolher a nós. Porque não criamos encontros nacionais, está na moda e traz muita gente, ocorre-me agora um encontro nacional de caravanistas, são o tipo de turista que viaja bastante e consulta o tipo de turismo que nós oferecemos, segurança e ar puro. Porque não investimos em redes viárias atraentes. Porque não criamos uma associação empresarial da nossa região, Figueiró, Castanheira e Pedrógão? Pagando a economistas e “olheiros” bons para tomarem conta dela. E as energias renováveis, a biomassa, era excelente para os nossos concelhos, juntarem-se e criarem uma central de produção. Invistam em novas tecnologias, nos dias de hoje é bastante importante. Dêem instrução nessa área, o trabalhador da nossa região não se pode contentar em saber somente mexer numa máquina e empurrar paus lá para dentro. As empresas estão modernizadas e robotizadas, e quando se vão implementar numa região estudam sempre a oferta de emprego e habilitações que tem. Se os novos se vão embora e os velhos não sabem mexer nas tecnologias, nunca nenhuma empresa com futuro se instalará nesta região.
Dinheiro, e para haver investimento tem de existir dinheiro. Não esperem pela maminha de Bruxelas ou de São Bento, POUPEM NO DESPERDICIO.
Querem uma sugestão? Festivais de santos e santinhos, só vos trazem PREJUIZO, eu sei que trazem votos, mas assim voltamos ao mesmo. Sejam políticos a sério e tenham-nos no sitio, não se deixem levar por meia dúzia de golpistas que só querem fazer dinheiro com essas festarolas. INVISTAM O NOSSO DINHEIRO ONDE TEM DE SER INVESTIDO

Anónimo disse...

e o bairrismo?

visionarium disse...

O fonseca tem alguma razão no seu comentário. Devemos no entanto não esquecer que o problema do desemprego deve ser pensado a longo médio prazo. O que está a ser feito na castanheira de pêra com a praia das rocas é um bom exemplo disso, apesar de um pouco arriscado, parece que esta a ter bons resultados para a vila. Pena é que não aproveitem para tentarem fixar esse turismo na noite, criando actividades para as pessoas. Talvez na vila onde fosse mais compreensivel haver uma grande festa, para promoção da praia das rocas, é onde o investimento é menor. São opções que não condeno, estratégias cada um com a sua.
Regressei de férias :D

pinto_vaz disse...

Investir no turismo, só assim conseguiremos criar mais postos de trabalho. As empresas que vieram para a nossa região foi só para ter subsideos do estado. Para que ter empresas que não são produtivas, se só ganham dinheiro através de subsideos, e burlando o estado em milhares de euros. Já para não falar nas autarquias, que de boa fé, acreditaram em muitas destas multi nacionais e acabaram por ficar a perder. Agora nem podemos ficar com as instalações.

castanheiras disse...

Deve ser dado louvor à fábrica dos morgados na castanheira. É a única fábrica de grandes dimensões a funcionar na nossa região. As vezes parece que os autarcas se esquecem disso. Se esta fábrica fechar algum dia muita miséria haverá neste concelho.

Fonix disse...

Então tambem se deve dar o louvor as respectivas camaras municipais. Se a tão falada fusão de concelhos vier a acontecer o desemprego vai ser bonito.

Anónimo disse...

O sr rmcfénix deve ter alguma coisa contra a engenheira da cambra, talvez lhe tivesse roubado alg taxo. E porque a trata por pseudo, se bem sei ela é mesmo engenheira formada, logo deve ter base sientifica para fazer o que faz.
APOSTO que voce nem sabe o que quer dizer a palavra pseudo, por isso manda bocas de qq maneira. Pense antes de dizer balburdias.

Anónimo disse...

Competencia precisa-se.
Nesta terra é o que faz falta, Competencia.
Nos mais variados sectores.

rncfonix disse...

Não falem mais nessa pseuda engenheira que segundo se diz até teve que comprar o diploma com dinheiro...!!!Aquela é mais uma xulice que existe na camara de pedrogão!Ela continua é a laurear a pevide e a andar de jipe e de pópó!`
eso queixas na camara e ela até hoje não resolveu nenhuma!Quem pagou os aspersores todos do mosteiro?E os 5oo metros de relva escondidos?

fénix disse...

Aquilo nos bombeiros já não bastva a ANABALEIA agora também só faltava o GABRIELBALEIA!E para não falar do BALEIA do segundo!Realmente aquilo tá li um bombeiral para beber umas cervejocas!Ainda falavam do joão buxa...fónix!

Anónimo disse...

Isto esta bom é para os pançudos

Bombeiro de 1ª- disse...

Para os pançudos e para os que exploram o restaurante dos bombeiros sem pagar nada á corporação e também para o quarteleiro que passa a vida na bebedeira e a fazer que faz piquetes mais a cantéé!!Ah pois é!!

curioso disse...

mas quem é a cantéé?è a fénix?