28 outubro 2006

15 Autarquias da região vão formar nova associação

A futura entidade visa a articulação dos investimentos concelhios de interesse intermunicipal, propondo-se contratualizar a gestão de programas comunitários (da União Europeia) no âmbito do QREN - Quadro de Referência Estratégica Nacional (equivalente ao IV Quadro Comunitário de Apoio).
No horizonte compreendido entre 2007 e 2013, Portugal desfrutará de 19 mil milhões de euros através de fundos comunitários.
A participação em empresas regionais e em outras de interesse público é outro dos objectivos da Associação de Municípios do Pinhal Interior Norte (AMPIN), cujo projecto estatutário deverá ser aprovado pelas assembleias municipais dos 14 concelhos até meados de Novembro.
Farão parte da futura entidade os municípios de Ansião, Alvaiázere, Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pera, Pedrógão Grande (distrito de Leiria), Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Tábua, Arganil, Góis, Lousã, Poiares, Miranda do Corvo e Penela (distrito de Coimbra).
Os 14 concelhos fazem parte da NUT III (nomenclatura unitária territorial para fins estatísticos).
A sede, transferível a qualquer momento, deverá ser instalada na Lousã.
Seis (Tábua, Góis, Lousã, Poiares, Penela e Miranda do Corvo) dos 16 concelhos da Grande Área Metropolitana de Coimbra e seis (Arganil, Pampilhosa da Serra, Oliveira do Hospital, Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pera e Pedrógão Grande) dos sete da Comunidade Intermunicipal do Pinhal aderem à AMPIN.
A Assembleia Intermunicipal da AMPIN será constituída por dois representantes de cada concelho (presidente de Câmara e vereador), sendo o Conselho Directivo formado por cinco autarcas.

(fonte: http://www.campeaoprovincias.com)

14 comentários:

Martins Janeira disse...

Os membros da Assembleia Municipal de Pedrógão Grande devem atentar e avaliar o grau/risco de investimento da Câmara (já ela falida) nesta Associação, sob pena de se injectar capital necessário para o Concelho em inócuas oportunidades de negócios para outros. É o hábito, mas mais habitual ainda são as irresponsabilidades cometidas em Assembleia Municipal por (quase) todos aí representados.

roc disse...

Tem a certeza que está falida?Por acaso deu-se ao trabalho de conhecer o seu PATRIMÓNIO?Estes Municipios têm forçosamente que unir esforços e sinergias para travar a drenagem de fundos comunitários para o já de si tão empolado litoral contribuindo simultaneamente para a dignificação das condições de vida daqueles que optaram por fazer vida no interior.E deverão fazê-lo em solidariedade e através de projectos intermunicipais em que todos beneficiem.

LB disse...

É por estas e por outras que continuamos a pensar no nosso jardim, já nem quintal se pensa e por isso vemos concelhos que conseguiram ultrapassar esses pensamentos mesquinhos e retrógrados e que nada nem a lado nenhum nos leva.
Abram os olhos e ouçam primeiro ou procurem inteirar-se do que será esta nova associação e o que ela poderá fazer no ambito do QREN e depois então fale-se á vontade.
Não sou politico, nem vivo á sombra de nenhum politico, a minha cor partidária é aquela que gostaria de ver a minha região onde estou mais próxima de outras mais desenvolvidas.

Martins Janeira disse...

Não querendo entrar em discussões sem sentido, apelo a todos para observarem detalhadamente o Relatório de Contas, assim como o próximo Plano de Actividades. Até um leigo em matérias económico-financeiros perceberá a falência técnica da Cãmara, tal é o avultado montante em dívida bancária. Só não vê quem não quer. Tudo o resto é política mentirosa e subdesenvolvida e que em nada contribui para o engrandecimento do concelho. A CÂmara Municipal de Pedrógão Grande não tem nenhum património, apesar de concordar consigo no que à solidariedade municipal diz respeito. Mas já é tarde, meu amigo. Já é tarde.

tótó disse...

estes artistas devem tar a pensar q por juntarem muita porcaria não vão fazer uma ainda maior, quando a manta é estreita e cada um puxa para seu lado ás vezes rasga. vai ser uma boa merdalhada.

Anónimo disse...

epah o tótó, és sempre o mesmo a fazer comentarios da me*da!!ve la se consegues acabar o curso para aprender pelo menos a escrever...pensa antes de falar!!

tótó disse...

tu já acabaste o teu de certeza, mas a escola não é a mesma, na minha não há curso de lambe botas, e tu não nasceste assim, ou tiveste um acidente, ou estudaste muito para assim ficares. a situação q tamos a discutir é complicada e contra factos não há argumenros, nem q esses possam vir a render um tacho.

aacs disse...

E as anteriores Comunidades Intermunicipais? Não seriam elas mais adaptadas à realidade dos concelhos que as compunham?
Mas enfim, se esta é a única forma de se conseguir apoios comunitários!
É importante que se Aposte em pessoas altamente competentes, capazes de elaborar estudos/projectos com interesse de forma a que se consigam canalizar investimentos e mais valias para o concelho.
2013 está já ao virar da esquina, se não se aproveitar (e não é gastar por gastar)ele regressa a Bruxelas.

Anónimo disse...

tu sabes la discutir alguma coisa "tótó"??!!olha, se eu tivesse feito o curso nessa escola estava a escrever como tu, por isso vai tentando que mais ano menos ano vais conseguir!!sabes la o que é estudar...é complicada?!ja deves perceber muito disso, ou estarei errado?mais uns anos vais acabar em presidente da republica, assim ja nao precisas de ter inveja dos tachos de pedrógão!

tótó disse...

realmente é demasiado bom a escrever, uasas bem o conteúdo e o género, mas digo-te q tenho muito gosto na escola onde estudo e naquelas por onde passei, em relação á presidência da república, com pessoas do teu nivel a votar não espanta q qualquer um lá possa chegar. mas é umna ideia, não uses o " anónimo ", certamente terás outro já utilizado mais bonito.

Anónimo disse...

"QUALQUER UM"

barnard disse...

Havendo autorização superior para contracção de empréstimos, condição financeira para a reunião de fundos necessários para a execução de projectos e posterior obtenção da comparticipação da Comunidade questiono-me por que não? porque não recorrer à Banca?
Sem esse recurso não se fazem obras!Depois é preso por ter cão e por não o ter, ou seja, se se faz obra é porque se endivida se não se faz obra e se não se endivida então é porque é malandro e não trabalha.

Martins Janeira disse...

A questão não está no endividamento ou não. A questão, a grande questão, é na utilidade desses empréstimos. A questão, a grande questão, é que foram feitos empréstimos avultados nos últimos anos sem qualquer consequência. É aí que reside o grande problema. Além disso, a CM de PG não pode mais contraír empréstimos. Está proíbida pela Administração Central. Oh God, make me good, but not yet!

Anónimo disse...

Uma vez mais se pode constactar a falta de isenção e a forma cirurgica como são colocados os Post´s no Tertúlia do Pinhal. Por vezes utilizam a ironia como forma de divulgar uma noticia qq, outras deixa-se apenas a informação de forma vaga para que os iluminados deste blog deem asas à sua imaginação.
Deixo aqui um conselho a todos os que realmente gostam de intervir na vida social e politica de Pedrogão. Vão às Assembleias Municipais e de Freguesia, participem, deem ideias, façam criticas, mas acima de tudo tentem ter uma opinião própria, não se limitem a ser papagaios. É engraçado, poucas pessoas ou nenhumas assistem a estas Assembleias, mas muitos falam sobre o que lá se passa. PORQUE SERÁ??????????