05 janeiro 2007

Ano novo, ano de esperança

Mais um ano que começa, e como em todos os inícios de novo ano, a palavra esperança repete-se e entoa-se em todas as conversas e suspiros. Não andaremos nós demasiado esperançados com a esperança? Não há poeta Português, de nome, que ouse prescindir de palavra tão gasta em alguns dos poemas que eterniza.

Um dia, mortos, gastos, voltaremos
A viver livres como animais
E mesmo tão cansados floriremos
Irmãos vivos do mar e dos pinhais.

O vento leva os mil cansaços
Dos gestos agitados irreais
E há-de voltar aos nossos membros laços
A leve rapidez dos animais.

Esperança e saudade, palavras tão Portuguesas, bonitas, sentidas, e que tão bem caracterizam o nosso estado de espírito de sempre.

Já agora, bom ano para todos.

3 comentários:

Anónimo disse...

Bom ano

tiratira disse...

mal empregados votos de bom ano pralguns.quando dão é sempre ós de abaixo nunca ós de cima.

EX:AUTARCA disse...

VOTOS DE BOM ANO PARA ACABAR A CORRUPÇÃO DOS DESENHADORES,TOPOGRAFOS E ENG.DA SUPER BOCK E ALUSIVA AO PRESIDENTE E VEREADOR DAS OBRAS AMBOS REFORMADOS!