07 julho 2006

ÚLTIMA HORA: Polícia Judiciária investiga anterior gestão da C.M. Figueiró dos Vinhos


Faz manchete no Jornal de notícias de hoje (07-07-2006) a seguinte noticia:
Uma brigada da Direcção Central de Investigação da Corrupção e Criminalidade Económica e Financeira (DCICCEF) da Polícia Judiciária (PJ) esteve ontem na Câmara de Figueiró dos Vinhos, de onde levou vários documentos relacionados com o anterior mandato autárquico.
Ao que o JN conseguiu apurar, em investigação estão vários actos da gestão anterior, do Partido Socialista, entre os anos de 2002 e 2005.O alerta terá partido da actual gestão camarária (do PSD) e terá sido canalizado para Lisboa, motivo pelo qual as investigações que conduziram às buscas ontem efectuadas estão a ser conduzidas pela DCCICEF e não pela Directoria de Coimbra, que tem competência territorial sobre aquele concelho.
Suspeitas de financiamento partidário, relacionadas com a última campanha para as eleições autárquicas, serão o motivo desta investigação que teve ontem a sua primeira acção visível no terreno. Os inspectores da PJ apresentaram-se depois de almoço na Câmara de Figueiró dos Vinhos, uma das quatro buscas efectuadas no dia de ontem. Pelo menos uma das outras terá sido nos escritórios de uma empresa da região.
Na autarquia, foram solicitados documentos relativos aos anos de 2002 a 2005 - mandato do PS, liderado por Fernando Manata. Os inspectores terão encontrado ao menos parte daquilo que procuravam. De acordo com informações recolhidas, no rol de documentação levada estarão várias facturas.
As movimentações da PJ em Figueiró dos Vinhos tiveram efeitos imediatos em Lisboa, nomeadamente no Parlamento. Carlos Lopes, ex-vice-presidente da autarquia e actual deputado eleito pelo PS, recebeu um telefonema durante a tarde, logo após o qual disse que se estava a sentir mal e que teria de deslocar-se para o Hospital dos Covões, em Coimbra. Este ex-responsável autárquico esteve sempre incontactável, apesar da insistência do JN.
O actual líder autárquico, Rui Silva, do PSD, não quis falar sobre o caso. Prometeu esclarecimentos para "mais tarde".
Já o anterior presidente, Fernando Manata, não confirmou nem desmentiu os factos com que o JN o confrontou e alegou a condição de advogado para argumentar que nada pode dizer sobre o assunto.
(FONTE: Jornal de Notícias)
Actualização: O actual presidente de Figueiró dos Vinhos, Rui Silva, esclarece, através de comunicado, que a edilidade figueiroense desconhece quais os motivos e os objectivos que motivam a referida investigação e acusa de falsas as alegações feitas pelo Jornal de Notícias, onde é referido que a investigação terá sido motivada por alerta da actual gestão.
Foram 16 anos de governação socialista, com o mesmo presidente, à frente da Câmara Municipal de Figueiró dos Vinhos, penso que é peremptório levar mais uma vez a debate a já antiga questão da limitação de mandatos, talvez casos como estes não se repetissem com tanta facilidade. Quando se está demasiado tempo no poder, podemos ser levados a acreditar que a imunidade é um bem que já auferimos.
Nesta fase do processo só há uma certeza, todos são “alegados” e ninguém é culpado, mas sejamos realistas, para ser levada a cabo uma investigação criminal como esta, têm de existir indícios bastante fortes que comprometam as pessoas que estão a ser alvos desta investigação. Esperamos pelos resultados.

6 comentários:

Anónimo disse...

Pensam que é fácil???
Deviam era fazer a mm coisa na de pedrógao!
Mas esperem até eu ser inspector...

limpysweet disse...

A serem confirmadas estas alegações é uma grande machadada no orgulho socialista, que vê assim denegrida todos os seus anos de mandato à frente da camara de figueiró. Será está a única camara? Talvez qundo mais algumas mudarem de cor partidária haja mais umas denuncias.

Anónimo disse...

pk e k pedrogao tem k lebver smp com merdas snho anonimu...n tnh culpa k figueiro seja uma terra d .......

c.jorge disse...

em bem me parecia que estes xuxalistas amdavam a roubar o povo de figueiro!

romy disse...

É muito dificíl fazer falcatruas nas câmaras sem que os vários partidos envolvidos na gestão não saibam. Na minha opinião estas coisas só vêm a lume quando alguém deixou de ter "favores" ou alguém no topo dos partidos pretende "eliminar" alguém.

Anónimo disse...

E aonde é que estão os outros?
Não parece que seja só em Figueiró.
Os Napoleões como diz Medina Carreira continuam a fazer o que querem.