12 julho 2006

É preciso ter lata…

Numa altura em que o País sofre graves problemas financeiros, onde o ministro das finanças apregoa todos os dias nos noticiários que temos de apertar ainda mais o cinto, que recupera de uma recessão, onde o deficit ronda os 5% e a taxa de desemprego está nos níveis mais altos dos últimos anos, a federação portuguesa de futebol vem pedir uma isenção fiscal, sobre os prémios dos jogadores que participaram no mundial da Alemanha. Este prémio ronda os €50.000 ou 10.000 contos por jogador, num total de 23 jogadores, e o estado tributará 15.000 ou 3.000 contos deste valor.
Talvez fosse interessante relembrar aos jogadores no geral e ao Sr. Gilberto Madaíl em particular que todos nós somos contribuintes e somos obrigados a pagar impostos, não temos direito a perdões fiscais, pelo contrário, o agravamento fiscal tem-se feito sentir quase todos os meses. Mesmo a invocação do artigo n.º 5 do artigo 13.º do Código do IRS, que dispõe que este imposto "não incide sobre os prémios atribuídos aos praticantes de alta competição, bem como aos respectivos treinadores, por classificações relevantes obtidas em provas desportivas de elevado prestígio e nível competitivo", não fica bem na fotografia, como é que ateletas altamente profissionalizados, que recebem um prémio por ter alcançado um objectivo, ainda vêm propor uma isenção fiscal? Este artigo do código do IRS é ridículo e devia ser abolido, no entanto dada a sua existência o mesmo deve ser aplicável só a atletas amadores ou portadores de deficiências, que muitas vezes sacrificam a sua vida profissional e pessoal, só para obter bons resultados desportivos e de reconhecimento internacional para o País.
Um português que ganhe €1000 por mês, precisa de trabalhar em média 3,5 anos para ganhar aquilo que estes jogadores ganharam num prémio, não contabilizando os ordenados e as contas bastante avolumadas que cada um deste jogadores deve ter.
É preciso ter lata, são proclamados de heróis nacionais, salvadores do orgulho nacional, regueiros lusitanos, ícones nacionais, etc…, e no final de contas o amor à selecção parece resumir-se a uma isenção fiscal.

É lamentável esta tomada de posição, ainda por mais quando o Dr. Gilberto Madaíl menciona, e passo a citar: “(…) é preferível que seja dada, em vez de uma cruz de mérito, uma isenção fiscal a estes jogadores (…)”. Com palavras tão sábias como estas, acho que não tenho mais nada a acrescentar, ou talvez sim, HIPÓCRITAS.

Para que fique aliviado, fique a saber que o ministro das finanças já deixou bem saliente que não haverá qualquer isenção fiscal.

5 comentários:

Romy disse...

Acho muito bem, até porque para eles não faz falta, já ganham muito. Agora triste e grave foi que aproveitando a euforia do futebol o nosso ex-presidente resolveu colocar a sua filhinha, Vera Sampaio, a trabalhar com o ministro da presidência. E eu que o já tinha ouvido a condenar uma cunha para entrada na faculdade, de um ex-ministro. Até gosto dele, mas fiquei triste. No melhor pano cai a nódoa.
Despacho nº13 299/2006 (2ª Série)

Anónimo disse...

XULOOOOOS Em vez de bandeirinhas metam agora cifrões. Eles agradecem. Que xulos, ganham rios de dinheiro e ainda querem mais. Aproveitadores, BESTAS.

xpto disse...

so em portugal!dao mais valor ao futebol que ao resto do pais!!!!!incultos...so vêm bola a frente dos olhos!!!!!!!!!!!

Quem_é_o_chulo? disse...

Vocês que tanto criticam, se calhar andaram de bandeira na mão a festejar as vitórias e por fim como bons portugueses que devem ser, pelo menos pelo palavreado, festejaram também as derrotas, não foi. Afinal que seria da vossa "triste vidinha" de lambe-botas se não fossem de vez em quando algumas destas alegrias, provavelmente morreriam mais estúpidos do que nasceram, como se isso fosse possível.
Para a Selecção Nacional de Futebol o meu muito obrigado e como a maioria dos chulos deste país não paga IVA nem IRS porquê castigar quem afinal faz de nós, de vez em quando, o povo mais feliz do mundo.
A esses parasitas que se calhar estão a untar a barriga em casa, a chatear a cabeça à mulher/marido/ou amante(s), a desancar forte e feio nos filhos e que para cumulo já despacharam os pais para a Santa Casa, e se preciso for passam por eles na rua e fingem que nem os conhecem e como se tudo isso não bastasse estão a viver dos milhares de € que nós lhes pagamos sem qualquer desconto pelo lindo trabalho desencadeado durante +/- 10 anos, em Secretarias da treta e outros valorosos empreendimentos cometidos durante a sua arrastada passagem por este planeta, só vos peço uma coisa vão catar piolhos que é a única coisa que devem ter nesse sótão.

xpto disse...

quer dizer, andamos nos a trabalhar feitos caes e outros a correr atras de uma bola pra nao pagarem com nos?!e tudo muito bonito, mas tudo isso foi criado pela comunicacao social...so nao ve quem quer...mas portugal e assim,tem uma politica futebolistica acima de tudo!!e as outras modalidades?sera que quando ganham têm esta publicidade toda?!e o nosso pais com esta a nivel economico?! no comments!!