17 março 2006

20 anos de União Europeia - Soubemos aproveitar?

Faz agora +- 20 anos que aderimos à então chamada Comunidade Económica Europeia (CEE). Numa altura em que a identidade europeia está cada vez mais em discussão e em causa, devido à recusa da França e da Holanda à nova constituição europeia, está no momento de também nós, residentes da zona do pinhal interior, fazermos um balanço, e ver se realmente valeu a pena aderir à união europeia. Olhando para os números temos:

Podemos confirmar que nos tópicos mais importantes aos Portugueses, saúde, vias de comunicação e ensino, houve uma melhoria significativa de à vinte anos para cá. A abertura dos balões de oxigénio de Bruxelas trouxe um novo fôlego para Portugal, Portugal este que vinha mergulhado de crises internas contínuas. Mas será que a longo prazo estes benefícios continuaram a fazer sentir-se? A abertura do frágil mercado Português a mercados mais competitivos que o nosso trouxe-nos alguns dissabores, principalmente na área da agricultura e pescas. E os fundos europeus?! Será que lhes tem sido dado o destino devido? São abundantes as histórias de fundos mal gastos, esquecidos, desperdiçados ou aplicados em “desenvolvimentos” rurais e empresariais duvidosos. Há de tudo um pouco, salvo algumas excepções que aproveitaram a oportunidade e graças a isso prosperaram, refiro-me tanto ao sector público como privado. No quadro que se segue pode ver a evolução dos apoios comunitários aos nossos concelhos:

Julgo que para a nossa região a adesão à União Europeia trouxe grandes benefícios, se não vejamos, há 20 anos éramos uma zona que vivia da agricultura de subsistência e pouco mais, não tínhamos cuidados médicos decentes, vias de comunicação dignas e as oportunidades de futuro eram muito escassas. Se aproveitámos bem o que nos foi dado? Bem, e até porque o artigo já vai longo, deixo essa questão para vocês discutirem!

4 comentários:

dn disse...

Na minha opinião a adesão de Portugal à CEE/UE foi positiva, direi mesmo muito positiva.
Como é referido no artigo, e muito bem, os ganhos foram/são evidentes, claro que também houve sectores que não ficaram tão bem, tal como o sector das pescas, em minha opinião, obviamente.
Não podemos esquecer que vivemos numa "Aldeia Global", ou seja num Mundo globalizado, a qual não se compadece com "rectângulos" mais ou menos bem sucedidos que procurem viver "orgulhosamente sós". Neste mundo compete-se à escala global, logo só será possível ir resitindo formando conjuntos mais ou menos fortes e mais ou menos coesos ("a união faz a força"). É isto que a História nos mostra.

limpysweet disse...

Graças à união europeia já temos uma praia com ondas artificiais, fábricas falidas que só vieram para portugal à procura de subsideos, ruas arranjadas, estradas sem buracos, agricultura e economia falidos e a nação já não existe. Somos uma provincia da europa que não consegue sobreviver sozinha. Acabaram-nos com tudo e dão-nos subsideos para nos manterem entertidos enquanto as suas economias ficam cada vez mais poderosas. Fim a união europeia JÁ!

zé da horta disse...

O sr. limpysweet tem sempre uma visão criticamente negativa de todo e mais algum assunto. Ou é comunista ou fala ao desbarato. Quanto ao artigo, sou da mesma opinião do sr. dn, a união europeia foi uma grande mais valia para a nossa região em partivular. Nós é que não sabemos aproveitar tudo o que nos é dado.

alertaconstrutiva disse...

não tenho a minima dúvida de que a adesão de portugal à CE foi extremamente positiva, especialmente no que concerne ao sdesenvolvimento do pís e a uma melhoria muito significativa da qualidade de vida dos Portugueses.
É óbvio que nem tudo foram rosas, nem tudo foi bem aproveitado, ocorreram erros graves. o importante é não voltar a cair nos mesmos erros, saber aproveitar melhor os recursos (até porque cada vez são menos)e levar portugal para a frente sem demagogias sem propaganda mas com obra feita sempre com o intuito desta contituir uma mais valia para o país, e não porque é bonita, visivel mas não funcional.