02 setembro 2006

Castanheira de Pêra aposta na requalificação do seu património

A Câmara Municipal de Castanheira de Pêra teima em apostar no turismo e na requalificação do seu património cultural e histórico. A recente requalificação de três poços de neve, localizados no Alto de Santo António da Neve – Serra da Lousã, são disso exemplo.
Os edifícios em xisto que cobrem os poços de neve são, de há muito, um ex-líbris da serra, mas, a partir de agora, há outras condições e motivos para os visitar, dado que foram limpos e toda a área envolvente arranjada. Segundo um jornal diário, citando o Engenheiro Florestal da Câmara Municipal de Castanheira de Pêra José Pais: "Apenas foi possível recuperar três dos sete poços existentes, mas há a possibilidade recuperar mais um. Os outros três encontram-se praticamente destruídos". Pena que só agora esta restauração tenha sido concretizada, não sendo assim possível recuperar todos os poços de neve, poços com um importante interesse histórico.
Segundo consegui apurar, há planos e vontade para voltar a produzir gelo nestes poços, os fins são turísticos. Ideia interessante que merece todo o nosso louvor.

História dos poços de neve da serra da Lousã:

Sem registos oficiais que o comprovem, tudo leva a crer que os poços de neve foram construídos no início do século XVII, com o objectivo de armazenar a neve que durante o Inverno caía na serra, para que ali fosse compactada, empalhada e transportada em carros de bois para a Corte, em Lisboa. No Verão, a realeza usava-a para conservar alimentos, fazer gelados, refrescar as bebidas, ou então para fins terapêuticos. Posteriormente, dado a quantidade de neve conseguida, esta passou a ser vendida para o Martinho da Arcada e hotéis.
Por decreto real, sempre que nevava na serra, os homens, mulheres e crianças eram obrigados a deixar o que estavam a fazer para ir encher os poços. Também no transporte, se algo acontecia com os bois ou com os carros, estes tinham de ser prontamente assistidos pelos populares da região.
Os poços de neve foram um enorme motor de desenvolvimento desta região da serra da Lousã. Por exemplo, o Coentral, pequena aldeia situada nas muralhas da serra, deve muito do seu crescimento ao gelo, produto então bastante burguês e escasso.
Mais tarde acabaram por ditar a sentença de morte dos neveiros da serra (trabalhadores dos poços de neve). Ao julgarem que seria a madeira uma boa matéria-prima para dar emprego às gentes da região, decidiram florestar a serra com pinheiros, o resultado foi catastrófico, a florestação provocou uma alteração climatérica na serra, estas modificações climatéricas traduziram-se na subida de temperatura média da serra na ordem dos 5/8 graus Celsius, acabou assim a neve e o pinhal nunca vingou nestas terras.
Saiba mais em: http://tertuliadopinhal.blogspot.com/2006/04/reportagem-tsf-sobre-o-coentral.html
ou http://pt.wikipedia.org/wiki/Po%C3%A7os_de_Neve

8 comentários:

Sofes disse...

A Castanheira é sem duvida um concelho que vale a pena conhecer. Nota-se que existe um pensar estruturado, no que concerne ao seu desenvolvimento, vocacionado inquestionavelmente para a indústria do lazer. Mais uma boa ideia. Parabéns

Anónimo disse...

É tudo muito giro, mas certo é que a castanheira está endividada da cabeça até aos pés.

sofes disse...

ok, mas Pedrogão e Figueiro também... E resultados? Nada...

Anónimo disse...

Pois é, é dor de cotovelo, porque nós na castanheira investimos. Já leram a ultima noticia aqui do blog? Muito bom.
Aqui na castanheira trabalha-se e não se critica ou passa a vida a criticar tudo e mais alguma coisa.

rmc_gonçalves disse...

Muito interessante esta noticia. Era muito giro se voltassem a fazer gelo com os metodos tradicionais. Podiam vfazer visitas guiadas no verão, para as pessoas que visitam a vila e não têm mais nada a não ser a praia das rocas para se divertirem.
Gosto de saber que a castanheira vai no bom caminho.

Anónimo disse...

é sem dúvida interessante, antes a castanheira era um importante polo industrial, o segundo do país na industria dos lanificios, todos sabem infelizmente o que aconteceu, hoje a castanheira está-se a autopromover como um resort turistico de qualidade. pois bem, se não acharem outras alternativas, ao turismo e às rotundas, de certeza que haverá uma inversão dos factos e talvez vejamos de novo essa zona a dedicar-se aos lanificios e á pastoricia, pois não restarão grandes alternativas. no futuro talvez possamos ver as ovelhas e vacas que hoje deambulam pelos cafés e bares em perfeita comunhão com a natureza na serra.

Anónimo disse...

Para quando um cargo de vereador para o Filipe Lopo?

Anónimo disse...

Quem é o Filipe Lopo?